CHUVA-DE-OURO E DE BELEZA!


Elas inspiram alegria e prosperidade pela cor vibrante e suas formas preciosas. São perfeitas para presentear e para decorar a nossa casa! As lindas orquídeas Chuva-de-ouro, não à toa, são bastante valorizadas e estão entre as espécies de pequeno porte mais admiradas.

Em nossas mesas, elas sempre dão o ar da graça com sua estrutura que traz um toque descontraído para os arranjos como no recente post Uma Tarde na Sicília. Agora, vamos aprender com os ensinamentos do nosso colaborador, o biólogo e botânico Anderson Santos.

orquídeas Chuva-de-ouro

Chuva-de-ouro ou Oncídio são os nomes dados às mais diferentes espécies do gênero Oncidium, da família botânica Orchidaceae, a família das orquídeas. São nativos das Américas, ocorrendo desde o México até toda a América do Sul. Existem mais de 300 espécies, sendo apenas cinco delas reconhecidas como exclusivamente brasileiras.

A maioria das espécies de Oncidium é epífita, ou seja, vivem apoiadas sobre outras árvores, mas algumas são observadas na natureza como terrícolas, vivendo no solo. As inflorescências apresentam quase sempre inúmeras flores, entretanto há registro de espécies que apresentam apenas uma flor. A principal característica deste gênero é a presença de um calo situado na base do labelo da flor, uma das pétalas que é totalmente diferente das outras. Essas, por sua vez, são geralmente amarelas, com marcas castanhas ou castanho-avermelhadas, ou castanhas com manchas amarelas, ou ainda, mais raramente, brancas, rosas ou lilases. As folhas são lisas, intensamente verdes e variam de tamanho de acordo com a espécie.

A maior parte das espécies conhecidas e comercializadas de Chuva-de-ouro possuem flores amarelas, porém as diversas tonalidades de cores fizeram com que fosse alvo de extração de forma predatória na natureza. No Brasil, em toda a costa Leste, onde havia predominância da Mata Atlântica, as espécies do gênero Oncidium foram indiscriminadamente extraídas da natureza para serem comercializadas como plantas decorativas. São plantas que se multiplicam facilmente pelo desenvolvimento dos pseudobulbos, parte do caule mais adensado que garante a reserva de água e nutrientes para as mais diferentes espécies de orquídeas. Já foram registradas no Brasil mais de 100 diferentes espécies, porém os especialistas perceberam que esse grande número de indivíduos registrados, nada mais são do que apenas cinco espécies diferentes que apresentam grande variabilidade na forma de suas flores e folhas, influenciadas pelos diferentes ambientes em que vivem em quase todo o território brasileiro.

O cultivo de Chuva-de-ouro foi amplamente difundido a partir do momento que se tornaram plantas com grande potencial comercial. São vendidas em vasos e como flor de corte muito utilizada na decoração de arranjos. O cultivo apresenta algumas características variáveis de acordo com a espécie, mas a maioria permanece sadia com uma a três horas de sol por dia. Geralmente, as plantas que apresentam folhas mais grossas, podem receber mais luz. As temperaturas também variam de 13 a 15 graus C, durante a noite,  e 27 a 29 C, durante o dia. As regas variam de acordo como tipo da planta. Geralmente plantas com raízes grandes e flexíveis ou folhas grandes  necessitam de regas menos frequentes do que plantas com folhas finas ou plantas de raízes pequenas. As regas devem ser feitas quando o substrato estiver seco. Isto significa que a rega deve ser feita de 2 a 10 dias dependendo do clima, tamanho e material do vaso, do substrato e do tipo de orquídea.

A durabilidade das flores de corte pode variar muito de acordo com o tratamento. Atualmente, é possível encontrar no mercado, conservantes que diluídos em água, aumentam a durabilidade das flores no chamado pós-colheita. O desenvolvimento das técnicas de cultivo promove floração quase todo o ano, sendo facilmente encontradas em floriculturas.

Esperamos que tenham gostado e que nos acompanhe sempre por aqui! Visitem a nossa galeria Flor da Semana, onde compartilhamos outras pesquisas sobre espécies que gostamos de ter por perto e de cuidar bem!

Aproveitamos para divulgar o curso Noções Básicas Sobre A Ciência Botânica, nos dias 23 e 30 de julho, em São Paulo. O curso será ministrado pelo querido Anderson Santos. Para quem tiver interesse no assunto, não percam e saibam mais informações pelo [email protected]

Beijos!

Deixe uma resposta