Uma Horta Para Chamar de Sua

Somos apaixonadas por hortas, assim como nossa colunista e jardineira de mão cheia Carol Costa, do site Minhas Plantas. Por todo frescor e alegria que elas trazem para nossas vidas, resolvemos ir atrás de informações com quem entende e descobrir alguns truques que vão garantir o sucesso na produção de ervas, temperos, verduras e legumes em casa!

Ter uma horta na cozinha virou o sonho de consumo de muitas famílias desde a explosão das varandas gourmet e dos programas culinários na TV. Cada vez que me apresento a uma pessoa e digo que sou jardineira, a frase seguinte costuma ser “Eu quero fazer uma hortinha num vasinho da cozinha para ter temperinhos!”. Repararam no monte de diminutivos? Pois é. São eles os culpados pelo sonho não se transformar numa linda e verdejante realidade.

Por menor que seja o espaço disponível para plantar, ter horta dá trabalho. Mesmo uma jardineira de 30 cm de largura consegue comportar várias plantas simultaneamente – para ser mais precisa, daria para semear ali 6 rabanetes, 20 cenouras de colheita precoce e mais de 50 pezinhos de verduras baby leafs, como alface, agrião, rúcula ou chicória. Entre as ervas aromáticas, coentro, sálvia, salsinha, tomilho e cebolinha crescem com tanto vigor que você terá de comê-los para não precisar de mais espaço.

Para ter uma horta é preciso dedicação

Misturar tantas espécies diferentes num mesmo naco de terra é divertido e desestressante, mas também desafiador. Cada planta tem um ritmo de vida próprio: rabanetes ficam prontos em menos de um mês, verduras precisam ser colhidas em no máximo 45 dias e legumes como tomate ou abobrinha raramente levam mais de meio ano para madurarem. Por outro lado, a hortelã, o manjericão e as pimentas produzirão continuamente por até dois anos, quanto o alecrim, o orégano e o tomilho talvez passem de cinco anos se bem podados.

Percebem como a coisa é animada? O tempo todo vocês terão coisas pra fazer na horta, de semear a podar, passando por transplantes, controle de pragas e doenças, adubações e outras tarefas semanais. Se vocês pensavam que a hortinha pequenina seria um hobby ocasional, melhor é plantar árvores, essas, sim, seres clorofilados de crescimento bem mais lento e controlável.

O lugar ideal para a horta

Outro desafio que os diminutivos encobertam é o do lugar. Quem disse que horta tem de ser na cozinha? Faz sentido, é claro, que os alimentos estejam ao alcance das mãos, mas para suas plantas, a cozinha talvez não seja o melhor lugar para morar. Parem e pensem um pouco: realmente bate sol no parapeito da janela da cozinha? Pela lógica da disposição dos cômodos numa casa, esse é o canto que deve ficar mais fresco e arejado até para poupar a geladeira de trabalho extra.

Geralmente, as áreas mais ensolaradas de uma casa ou apartamento são os quartos e a sala, esses, sim, ótimos lugares para colocar sua horta. Vocês verão que quanto mais sol bater nas plantas, menos trabalho elas darão para se manterem saudáveis sem sua ajuda. E, se vocês acham que sol em excesso significa ter de regar várias vezes na semana, experimentem cobrir a superfície da terra de vasos, jardineiras e canteiros com uma grossa camada de palhinhas, como serragem, folhas secas ou casca de pínus. Esse “cobertor” mantêm o solo protegido do sol, evita pragas, diminui a perda de água por evaporação e garante que as plantas se mantenham úmidas por muito mais tempo.

Comam o que plantarem

Um último truque para vocês irem adiante com a horta: comam o que plantarem. Comam quando estiver pequeno, como quando estiver maduro, comam mesmo que sua alface esteja tão linda quanto na capa de um livro de culinária. Já ouvi muita gente se desculpar dizendo que “tem dó de colher porque a horta está tão bonitinha…”. Para tudo! Como assim? Depois de todo o trabalho, vão mesmo deixar a cenoura mais suculenta para as pragas? Podem parar com essa “peninha”: horta é feita para comer — e logo, viu? Se vocês não fizerem isso, os pulgões, cochonilhas, lagartas, caracóis, besouros e outros bichinhos crocantes logo o farão e tchau comida fresca e saudável. Precisa de mais um motivo para cortar o manjericão e usá-lo num pesto? Quanto mais vocês podam, mais cheias ficam as plantas, duplicando e quadruplicando rapidamente as folhas.

Vamos plantar então? Vai dar trabalho, mas nada paga a mordida num tomate maduro, orgânico e plantado por suas próprias mãos.

Obrigada, Carol, pelas dicas e toda essa pesquisa maravilhosa! Vamos experimentar, e vocês?

Continuem com as dicas da Carol no seu site maravilhoso e cheio de dicas para quem ama as flores e plantas: o Minhas Plantas!

Esperamos que tenham gostado!

Beijos!

Deixe uma resposta