COM QUE TAÇA EU VOU?

Ao mostrar a vocês aqui a mesa que preparamos para a reunião de uma confraria de vinhos muito especial, fizemos um convite para que todos aqueles que apreciam bons vinhos, boa companhia e o bem receber fizessem o mesmo, lembram?

É por isso que hoje preparamos uma seleção de taças by Presentes Mickey, indicando quais bebidas podem ser adequadamente degustadas em cada uma delas e por quê.

banner com que taca eu vou

A Presentes Mickey tem um acervo realmente impressionante de taças sommelier específicas para todo o tipo de bebida. Todas essas taças são feitas em cristal transparente para permitir a perfeita visualização da coloração e aspecto do líquido – um dos requisitos essenciais para a sua perfeita avaliação. São vendidas por unidade ou por conjuntos.

Vamos à seleção?

com que taca eu vou1. Taça Cerveja | 2. Taça Conhaque | 3. Taça Espumante | 4. Taça Grappa | 5. Taças Sherry | 6. Taça Chianti Clássico | 7. Taça Bourgogne | 8. Taça Bordeaux Grand Cru I | 9. Taça Malbec | 10. Taça Chardonnay | 11. Taça Vinho do Porto | 12. Taça Sauternes.

Procuramos fazer uma seleção bem completa, com taças que, além de lindas, em seu conjunto, permitem que os mais variados tipos de vinhos e destilados possam ser adequadamente degustados. Impossível não acertar com uma seleção de taças como essa.

Logicamente cada um tem as suas preferências e quem optar por taças ainda mais específicas para um determinado tipo de vinho, destilado ou cerveja, dentre outros, pode clicar aqui e deixar sua coleção ainda mais completa.

Como muita gente tem dúvidas sobre qual o tipo de taça mais apropriado para cada vinho, contamos com a ajuda de dois experts no assunto para escolher na Presentes Mickey as taças que mostramos hoje a vocês e falar para que elas são melhor indicadas.

Eles são os queridos João Renato da Silva, sommelier gabaritado pela Wine & Spirit Education Trust – WSET, e Tais de Souza, sócios da Tintin Vinho & Entretenimento. João Renato e Tais, muito obrigada pela valiosíssima aula sobre as taças de hoje. Jamais teríamos conseguido sem vocês!

Para começar pelo espumante, o sommelier João Renato menciona que a taça Champagne permite que ali sejam degustados quaisquer vinhos espumantes, tais como o Champagne a Cava e o Prosecco. Segundo ele, a sua base mais fechada faz com que o espumante mantenha sua perlage (nome adequado para as lindas borbulhas) por mais tempo. Tratando-se, no entanto, de espumantes mais encorpados ou envelhecidos o ideal são taças mais abertas que permitem os aromas do espumante sejam melhor liberados.

Passando aos vinhos, o sommelier João Renato destaca que, de maneira geral, o formato distinto das taças conforme o tipo de vinho é importante para fazer com que cada um deles chegue à boca de maneira e em local específico diferente, visando potencializar as características principais de cada uva.

A taça Malbec é ideal para vinhos em que predominem uvas de médio porte, como a Malbec e a Carmenere.

A taça Bordeaux Grand Cru I é maior e tem capacidade para mais vinho, compatível com a uva Cabernet Sauvignon, sinônimo de Bordeaux e bastante potente, apresentando taninos bem marcantes. O tamanho da taça permite ao vinho aerar, minimizando esses taninos e permitindo a liberação dos aromas.

A taça Chianti Clássico é ideal para vinhos feitos com a uva Sangiovesi – tema da nossa confraria. Ela permite, portanto, a degustação apropriada de Chiantis, Chiantis Clássicos e Reservas, Brunellos de Montalcino, Supertoscanos e os Vinos Nobiles de Montepulciano.

A taça Bourgogne Grand Cru é perfeita para os grandes vinhos feitos com a uva Pinot Noir na região da Borgonha. Trata-se de vinhos delicados e, ao mesmo tempo, complexos aromaticamente. Vinhos assim pedem uma taça de grande porte, para que seus aromas possam ser liberados aos poucos, e que tenha o formato necessário para que o vinho chegue ao lugar certo da boca, podendo, assim, ser melhor apreciado.

A taça Chardonnay pode ser usada para uma boa degustação de vinhos brancos e rosé. Tratando-se desses tipos de vinho, é importante que a taça em que sejam servidos preserve melhor e por mais tempo tanto seus aromas, mais delicados que os dos vinhos tintos, como sua temperatura.

A taça Sauternes, além do próprio Sauternes (claro!) pode ser usada para degustar qualquer outro vinho de sobremesa elaborado da mesa forma, inclusive os late harvest. Seu formato permite a adequada oxigenação do vinho e a liberação de seus (maravilhosos) aromas.

A taça Vinho do Porto em geral é menor que a de um vinho branco ou tinto, já que o Vinho do Porto é mais alcoólico e, normalmente, tomado ao final das refeições como um digestivo, em pequenas doses.

A taça Sherry e Jerez é bem específica para esses tipos de bebida. Ela também respeita o fato de estes vinhos serem servidos em pequenas doses, resguardando melhor a menor temperatura do serviço.

Para terminar com os destilados, o sommelier João Renato frisa que, quanto à taça Conhaque, esta serve exclusivamente para este tipo de bebida. Seu formato, sem haste alongada, é pensado para que seguremos a taça pelo seu bojo, esquentando, assim, a bebida com a temperatura das mãos e, consequentemente, liberando seus aromas. É exatamente o oposto do que ocorre com os vinhos, cujas taças seguramos pela haste para não interferir na sua temperatura.

E, sobre a taça Grappa, ela é específica para este tipo de destilado.

Além de sommelier de mão cheia e sócio da Tintin Vinho & Entretenimento, que organiza cursos, confrarias e jantares harmonizados, o querido João Renato é sócio do Ovo e Uva, bar de vinhos onde se pode levar os selecionadíssimos rótulos para casa e provar comidinhas harmonizadas com vinhos escolhidos a dedo por quem mais entende do assunto. Vale a pena conferir!

Esperamos que tenham gostado de nossa seleção de hoje.

Agora é só criar a confraria, escolher a taça certa e começar a brindar.

Um beijo!

Deixe uma resposta