CRISÂNTEMO-MARGARIDA

Das mais lindas flores para compor um arranjo delicado, a Crisântemo-Margarida se apresenta como uma bela opção para dar movimento e leveza.

Hoje, quem nos conta um pouco mais sobre suas particularidades e características, com todo o embasamento científico, é o biólogo, botânico e designer de joias Anderson Santos.

Anderson passou dez anos desenvolvendo pesquisas no Jardim Botânico de São Paulo, publicou diversos artigos científicos, é professor e consultor ambiental e agora também se dedica a transformar em arte tudo o que vê de beleza, em diversas espécies de plantas e flores representadas em suas joias. Para conhecer mais sobre esse trabalho de Anderson, visitem o site Cryptanthus.

flor Crisântemo-Margarida

Crisântemo-Margarida é uma planta que pertence à família botânica Asteraceae, a mesma do Girassol, Alcachofra, Camomila, Margarida, Gérbera, Carqueja, Chicória, Alface, dentre outras importantes plantas utilizadas para alimentação humana e com forte potencial ornamental devido à exuberância de suas inflorescências.

Crisântemos apresentam uma inflorescência composta, do tipo capítulo. Quando brincamos de bem-me-quer, malmequer, o que retiramos dos crisântemos ou margaridas, não são pétalas e sim brácteas, que têm a função de proteger as pequeninas flores que se agrupam no centro desse tipo de inflorescência. Popularmente, aquilo que é chamado de miolo da flor, nada mais é do que um conjunto de microflores (centenas ou até milhares) unidas lado a lado formando uma inflorescência. Se observado bem de perto, é possível notar que cada microflor apresenta pétalas muito pequenas, sendo muitas vezes, amarelas. As brácteas externas apresentam uma variedade de cores podendo ser brancas, amarelas, lilases e rosadas.

O Crisântemo-Margarida é classificado como uma planta de dias curtos, que de acordo com a variedade, tem o florescimento induzido a partir da exposição a um período de menos de 14 horas de luz por dia. Isso faz com quem os produtores consigam dosar a intensidade luminosa e garantir a colheita das flores durante todo o ano. Atualmente, a maior parte da produção é em vasos, o que tornou do Crisântemo-Margarida uma planta bastante consumida, devido à durabilidade após a aquisição.

O nome Crisântemo é derivado de gênero botânico da família Asteraceae: Chrysanthemum, que significa flor de ouro. Entretanto, há outros representantes de diversos gêneros botânicos da família que recebem o mesmo nome popular. Isso se deve ao fato dos Crisântemos cultivados serem híbridos, bastante complexos, resultantes do cruzamento de espécies principalmente dos gêneros Argyranthemum, Chrysanthemum e Dendrathema.

Dados históricos apontam que os Crisântemos são cultivados há mais de 2.000 anos, sendo a China responsável pelo início desse plantio. No final do século XVII foi iniciado o cultivo de Crisântemos na Europa, sendo esses de origem Asiática. O gênero Argyranthemum, ao qual pertence a maioria das espécies de Crisântemo-Margarida, é originário da Macronésia, um conjunto de ilhas no Atlântico Norte, perto da Europa e da África.

Se vocês, como nós, também amam as flores e querem saber mais sobre elas, cliquem em nossa galeria Flor da Semana para ver informações e imagens sobre outras espécies.

Esperamos que tenham gostado!

Beijos!

Deixe uma resposta