SUAVIDADE EM LILÁS: LIATRIS

Estrela-Ardente e Liatris são os nomes da nossa eleita de hoje na seção Flor da Semana. O encontro perfeito entre a suavidade da cor lilás e sua forma exuberante faz desta flor uma riqueza a ser explorada em arranjos e jardins capazes de encantar!

Todos os detalhes sobre o seu crescimento, cultivo e cuidados e, ainda, características da Liatris, vamos descobrir com a ajuda do biólogo, botânico e pesquisador Anderson Santos, que assina a nossa coluna semanal sobre as nossas estrelas em muitas produções. Aliás, a flor protagonista de hoje emprestou sua beleza em arranjos nos posts Arranjos em Muranos e 1,2,3 Motivos para Amar esse Carrinho

flor da semana vamos receber liatris

Liatris é o nome de um gênero botânico que abriga cerca de 250 espécies de plantas nativas da América do Norte, pertencentes à família botânica Asteraceae. No Brasil, é popularmente conhecida como Liatris ou Estrela-Ardente, dependendo da região do país. A espécie mais difundida no comércio de flores em todo o mundo é a Liatris Spicata. No entanto, há diversas outras espécies que são cultivadas e comercializadas, devido à beleza e grande valor ornamental que essas plantas apresentam. São utilizadas como flor de corte e para composição de canteiros.

Liatris Spicata atinge entre 60cm e 1,5m de altura quando está em floração. Na natureza habita lugares úmidos e margens de brejos. As folhas são intensamente verdes e se parecem com folhas de grama. A inflorescência, de forma cilíndrica e alongada, se desenvolve no topo da haste e é nela que as centenas de flores lilases e roxas se agrupam. A abertura das flores se inicia por aquelas que estão no topo da inflorescência e conforme são polinizadas. As flores que estão abaixo se abrem e passam pelo mesmo processo. Se todas as flores abrissem juntas, seria provável que o pólen daquelas que estão no topo caísse nas que estão na base da inflorescência, promovendo um evento biológico chamado de autofecundação o que, para os vegetais, não é muito interessante. A variabilidade genética das plantas é resultante do cruzamento que ocorre entre indivíduos diferentes e é por isso que, quase sempre, os agentes polinizadores ajudam nesse processo. As cores intensas e o perfume atraem abelhas, borboletas e pequenos pássaros que são seus principais agentes polinizadores.

A Liatris produz sementes pequenas e, são dispersas pelo vento, sendo assim, coletar as sementes antes da sua maturação total é uma forma de garantir sementes para um próximo plantio. As plantas adultas se desenvolvem bem em pleno sol e meia sombra, com solo arenoso e rico em matéria orgânica. O plantio pode ser feito através da germinação das sementes ou através do plantio de bulbos extraídos de outras plantas adultas. Precisa de rega regular, sem alagamentos sendo resistente à seca prolongada.

Não há muitos registros de pragas presentes em seu cultivo, sendo os fungos os mais comuns a atacar a base das folhas, quando há excesso de umidade. A germinação das sementes leva cerca de três semanas e a floração, neste caso, pode demorar até dois anos para acontecer. Plantas produzidas através do plantio de bulbos apresentam uma floração mais rápida. Liatris pode ser plantada em vaso desde que o tamanho seja grande o suficiente para o grande desenvolvimento da planta.

Esperamos que tenham gostado e aproveitamos para convidá-los a um passeio pela nossa categoria Flor da Semana, com informações sobre outras flores e plantas que adoramos!

Beijos!

Deixe uma resposta