SOBRE O CYCLAMEN E AS DOCES LEMBRANÇAS

Para lembrar uma pessoinha muito especial para nós e de quem estamos completamente mortas de saudade, hoje falaremos sobre uma linda flor que decorou a mesa preparada para um almoço em homenagem a ela, Luiza Sophie. Quem quiser conferir, basta clicar aqui.

Para falar sobre o tema, contamos mais uma vez com toda a gentileza e expertise do querido Sergio Oyama Junior, do Orquídeas no Apê, que toda semana nos encanta com tanto carinho e gentileza.

O Cyclamen é o gênero botânico que contém 23 espécies floríferas, dentre elas a planta que conhecemos como Ciclame da Pérsia, Cyclamen persicus, ou simplesmente Ciclame.

FlorDaSemana18

Trata-se de uma planta tipicamente europeia, originária da região do Mediterrâneo. Cultivado e comercializado no mundo todo como planta ornamental, o Cyclamen nasce a partir de bulbos e produz flores curiosamente invertidas, em tons de branco, vermelho e rosa, como o que usamos em nossa mesa, entre outros. Sua folhagem também tem valor ornamental, apresentando diversos padrões de cores e formas.

O Cyclamen floresce durante a primavera, sendo que suas folhas murcham e secam após o término da floração. Embora pareça morta, a planta mantém-se em estado dormente, na forma de um bulbo, que tecnicamente recebe o nome de tubérculo. Devidamente hidratado, ele rebrotará no ano seguinte, na mesma época.

Trata-se de uma planta que aprecia climas amenos, não suportando altas temperaturas.

O Cyclamen deve ser cultivado em locais bem iluminados, arejados e com elevados níveis de umidade relativa do ar. O solo deve ser rico em material orgânico e não pode permanecer encharcado.

Além de belo, o Cyclamen nos traz as mais doces lembranças. E doces lembranças ajudam a segurar um pouco a saudade! Minha querida Luiza Sophie, agora falta pouco para você ganha um abraço bem, mas bem apertado!

Um beijo!

Sergio Oyama Junior é o biólogo, fanático por orquídeas e idealizador do Orquídeas no Apê, blog dedicado a essas lindas flores. Neste espaço, Sergio, que é graduado em Biologia pela Unicamp e pós-graduado em Bioquímica pela USP, gentilmente divide conosco um pouquinho do seu vasto conhecimento sobre as mais diversas plantas e flores, incluindo, é claro, as orquídeas.

Deixe uma resposta