A SEDUTORA E ENIGMÁTICA NINFEIA

Já não é segredo que somos completamente apaixonadas por flores, tanto que dedicamos uma coluna semanal para descobrir e aprender um pouquinho sobre esse universo tão vasto e denso de belezas naturais. E não estamos sozinhas, contamos sempre com a companhia do pesquisador e biólogo Sergio Oyama Junior, do blog que amamos Orquídeas no Apê.

Hoje, vamos conhecer um pouco mais sobre as particularidades da linda Ninfeia, sua diversidade em cores e simbolismos que encantam culturas e artistas desde o Antigo Egito.

Flor da Semana - Ninfeia

A Ninfeia é uma planta aquática de grandes folhas flutuantes, cuja flor é mundialmente conhecida por sua beleza, repleta de significados e bastante utilizada no paisagismo, na ornamentação de superfícies de águas calmas.

O nome científico Nymphaea é a forma latinizada da palavra grega νυμφαια (nymphaia), inspirado pela figura das ninfas da mitologia grega. As diferentes espécies de Ninfeias são conhecidas como Water Lilys, ou Lírios D’água. Embora semelhantes, estas plantas não podem ser confundidas com a Flor de Lótus, sobre a qual falamos aqui. Esta última pertence a um outro gênero botânico, Nelumbo.

Os antigos egípcios reverenciavam os Lírios D’água às margens do Nilo. São flores presentes nas esculturas e nos adereços dos templos do Antigo Egito. Destacam-se a Nymphaea caerulea, o famoso Lírio D’água Azul, Blue Egyptian Water Lily, também popularmente conhecido como Blue Lotus. Curiosamente, esta planta é chamada de Sacred Narcotic Lily of the Nile, por possuir substâncias psicotrópicas, sendo considerada sagrada. A Ninfeia azul é conhecida por abrir suas flores durante a manhã, fechando-se e desaparecendo sob as águas do Nilo com o pôr do sol.

A Ninfeia branca, por sua vez, desabrocha durante o anoitecer, permanecendo fechada durante o dia. Em conjunto, estas duas flores simbolizam para os egípcios os ciclos da vida e da morte, a divindade e a vida após a morte. Resquícios destas duas flores foram encontrados na tumba de Ramsés II.

As Ninfeias também foram extensivamente retratadas pelo pintor impressionista Claude Monet. Seu famoso jardim, em Giverny, possuía um lago repleto destas belas e delicadas flores.

Esperamos que tenham gostado de saber mais sobre esta linda flor!

Beijos!

Sergio Oyama Junior é o biólogo, fanático por orquídeas e idealizador do Orquídeas no Apê, blog dedicado a essas lindas flores. Neste espaço, Sergio, que é graduado em Biologia pela Unicamp e pós-graduado em Bioquímica pela USP, gentilmente divide conosco um pouquinho do seu vasto conhecimento sobre as mais diversas plantas e flores, incluindo, é claro, as orquídeas.

Deixe uma resposta