FOFINHA E FELPUDA: A GREEN BALL

Clima de Páscoa é uma delícia. Depois do piquenique que mostramos a vocês aqui – e que só de lembrar já nos faz suspirar de saudades – estamos contando os dias para colocar tudo mais uma vez em prática e celebrar essa data tão linda e cheia de significado com a família.

É por isso que não conseguimos resistir toda vez que vemos algo que lembra a Páscoa.

É por isso que, desde o momento em que nos deparamos com a Green Ball, ficamos encantadas com essa flor que lembra uma fofinha e felpuda cauda de coelho! Não poderia haver flor mais perfeita para nosso quadro de hoje, não é mesmo?

Com a ajuda sempre tão gentil e carinhosa de Sergio Oyama Junior, do belíssimo Orquídeas no Apê, descobrimos várias particularidades sobre essa graciosa flor que, curiosamente, pertence ao mesmo gênero do cravo, sobre o qual já falamos aqui.

green ballFoto: Pinterest.

Assim como o cravo, a Green Ball (Green Trick ou Green Carnation) também é conhecida como Dianthus em alusão às flores dos Deuses. Originária da Europa, ela está entre as mais antigas flores cultivadas pelo homem, havendo registros de sua existência nas culturas grega e romana, há mais de 2.000 anos.

Mais especificamente, a Green Ball é uma variedade inédita da espécie Dianthus barbatus, flor tradicionalmente conhecida como Sweet William, bastante apreciada pela realeza inglesa. Diferentemente da Sweet William, no entanto, a Green Ball foi desenvolvida no Japão, há alguns anos, e logo se tornou uma das preferida dos floristas europeus e americanos por sua aparência e coloração incomuns: verdinha de forma simetricamente esférica e aparência felpuda.

Em arranjos florais, a Green Ball é frequentemente utilizada como preenchimento, como alternativa ao musgo ou até mesmo como elemento principal. Bela, diferente e exótica, esta flor também é bastante durável, permanecendo em bom estado por até um mês.

Certamente uma ótima sugestão para a Páscoa!

Um beijo!

Sergio Oyama Junior é o biólogo, fanático por orquídeas e idealizador do Orquídeas no Apê, blog dedicado a essas lindas flores. Neste espaço, Sergio, que é graduado em Biologia pela Unicamp e pós-graduado em Bioquímica pela USP, gentilmente divide conosco um pouquinho do seu vasto conhecimento sobre as mais diversas plantas e flores, incluindo, é claro, as orquídeas.

Deixe uma resposta