Orquídea Cattleya

Esta semana, falaremos de orquídeas.

Pesquisando um pouco sobre o assunto, percebemos que seria impossível falar apropriadamente sobre elas de uma só vez. São tantos os gêneros, tantas as formas e cores que preferimos tratar de um tipo de orquídea por semana.

Para tanto, contamos com a vasta experiência do querido biólogo Sergio Oyama Junior, do maravilhoso blog Orquídeas no Apê, que é dedicado exclusivamente ao tema. Vale muito a pena conferir.

Com a ajuda de Sergio, elegemos como flor da semana a orquídea Cattleya.

FlorDaSemana08

Da grande variedade de orquídeas a que temos acesso atualmente, a Cattleya é, provavelmente, aquela que primeiro nos vem à mente quando imaginamos este tipo de flor.

Típicas do Novo Mundo, com presença maciça em todo o Brasil, as espécies do gênero Cattleya começaram a ser descobertas a partir de 1821, graças aos estudos do orquidófilo inglês William Cattley, que lhes emprestou o nome.

Desde então, estas orquídeas vêm sendo cruzadas entre si para a produção de novas e belas espécies híbridas, das mais diferentes formas, cores e tamanhos. Para aumentar-lhes a beleza e a variedade, também é comum que se acrescentem outros gêneros à mistura, como Brassavola, Laelia e Sophronitis.

No entanto, as espécies puras de Cattleya são as mais cobiçadas. A Cattleya labiata, espécie pura considerada a rainha do Nordeste, desperta particular interesse por ser, além de belíssima,  bastante resistente e florífera. Outra espécie de destaque é a Cattleya walkeriana, que pode ser bastante rara e alcançar preços que chegam à casa dos milhares de reais, como é o caso da variedade ‘Feiticeira’.

Apesar de se tratar de orquídeas bastante resistentes, o cultivo da Cattleya requer alguns cuidados especiais, tais como: evitar o excesso de umidade em torno das raízes, propiciar boa ventilação e bastante luminosidade, sem sol direto. São pequenos esforços que costumam trazer belas recompensas. As espécies puras costumam florescer no outono, enquanto as híbridas florescem em épocas variadas, algumas mais de uma vez por ano.

Sejam as espécies puras, sejam as híbridas, as Cattleyas são orquídeas de uma beleza singular, capazes de conferir cor, perfume e sofisticação a qualquer ambiente e ocasião, e, em geral, duram 30 dias.

Conteúdo do texto: Sergio Oyama Junior.

Deixe uma resposta

Comentários