QUESTIONS & ANSWERS: POSIÇÃO DOS GUARDANAPOS

No início da semana, compartilhamos com vocês aqui algumas sugestões para a dobradura de guardanapos. Alternativamente às dobraduras, também se podem usar porta-guardanapos para compor a mesa e deixá-la ainda mais linda.

Guardanapos com as iniciais dos anfitriões, por exemplo, ficam lindos dobrados de forma a dispor de uma maneira bonita os monogramas. Outras vezes, um belo porta-guardanapo de flor contribui – e muito – para a decoração da mesa, assim como para realçar uma ou outra cor da louça ou do arranjo usado.

E já que estamos falando sobre o tema, nosso quadro Questions & Answers deste mês tratará da posição dos guardanapos sobre a mesa, tema que, para alguns, ainda suscita algumas dúvidas.

questions and answers - guardanapos mesa

Em geral, os guardanapos podem ser posicionados de duas maneiras sobre a mesa: à esquerda do garfo (que, por sua vez, são posicionados do lado esquerdo do prato) ou sobre o centro prato.

Em um evento mais formal, normalmente coloca-se o guardanapo sobre o centro do prato ou sousplat à frente de cada um dos convidados. Isso porque, neste tipo de ocasião normalmente é servida uma variedade maior de pratos e bebidas e, assim, é natural que haja mais talheres e mais taças em cada um dos lugares à mesa. Posicionando-se o guardanapo sobre o centro do prato, ao mesmo tempo em que se economiza espaço, aproxima-se o guardanapo do convidado.

Algumas de nossas mesas em que os guardanapos foram posicionados assim vocês podem conferir aqui, aqui, aqui e aqui.

Quando os convidados já são recebidos na mesa com a entrada já servida, uma sopa, por exemplo, o guardanapo passa para o lado esquerdo dos garfos.

Vejam só alguns exemplos aqui, aqui e aqui.

Em um evento informal, o guardanapo pode ser posicionado onde quer que o anfitrião entenda mais adequado dentre as duas posições acima – sobre o centro do prato, à frente de cada um dos convidados, ou à esquerda dos garfos.

Normalmente, se o espaço à mesa permitir, preferimos posicionar o guardanapo à esquerda dos garfos, principalmente quando  usamos louça estampada. Assim, o guardanapo não encobre o desenho e a louça complementa melhor a decoração da mesa.

Quando optamos por servir em um buffet, normalmente dobramos os guardanapos da forma como mostramos aqui (dobraduras 02 ou 03) e colocamos os talheres no próprio guardanapo. Dessa forma, evita-se que, além do prato, o convidado tenha que equilibrar também o guardanapo e os talheres enquanto se serve. É importante também que os guardanapos – assim como os talheres – estejam posicionados em lugar de fácil acesso para o convidado que deixa a mesa de buffet.

 

Quem quiser ver esta e outras dicas para servir num buffet, basta clicar aqui.

Ao sentar-se à mesa, o convidado deve posicionar o guardanapo sobre o colo. Ao finalizar a refeição, o guardanapo deve ser posicionado sobre a mesa (não há necessidade de arrumar o guardanapo nesse momento).

E quando o convidado se levanta durante o almoço ou jantar, onde o guardanapo deve ser posicionado? Essa é uma questão controvertida entre os estudiosos em regras de etiqueta. Uns defendem que os guardanapos devem ser posicionados sobre a cadeira em que o convidado estiver sentado, indicando que a refeição ainda não foi finalizada. Essa corrente entende que seria desagradável para os outros convidados ver o guardanapo sujo sobre a mesa durante a refeição. Outros, defendem que os guardanapos devem ser posicionados sobre a mesa, porque seria anti-higienico posicioná-los sobre a cadeira.

Quando nos levantamos durante um almoço ou jantar, posicionamos os guardanapos sobre a mesa, sem arrumá-los, e tomamos o cuidado deixar o lado sujo do guardanapo para baixo, de modo que não haja qualquer indisposição com os outros convidados.

Por fim, em relação aos guardanapos de papel, a posição adequada para eles é à esquerda do garfo do início ao fim da refeição.

Esperamos que nosso post de hoje tenha ajudado a esclarecer algumas dúvidas e, por favor, não deixem de nos escrever caso tenham sugestões de temas para serem comentados por aqui.

Um beijo!

CREME DE BATATA DOCE COM CRISPS DE PARMA

Friozinho lá fora pede pratos que aqueçam o corpo e o espírito. Algo gostoso, simples de preparar, para comer sozinho na hora em que bate aquela fome ou para compartilhar com pessoas queridas.

Nosso prato de hoje é assim. Criado pela nossa querida chef Bruna Leite, da Gourmandisme, este creme de batata doce com crisps de presunto parma é simplesmente uma delícia. Uma mistura de sabores e texturas para deixar qualquer um com água na boca.

creme de batata doce insta

Vamos à receita?

Os ingredientes seguem abaixo e a quantidade sugerida rende 4 porções:

creme de batata doce

Modo de preparo:

1. Doure a cebola na manteiga, acrescente o alho e, em seguida, a batata-doce.

2. Adicione o caldo e cozinhe até que a batata doce amoleça.

3. Retire do fogo e deixe esfriar. Então, bata tudo no liquidificador e volte para a panela, em fogo baixo.

4. Acrescente o creme de leite, misture bem e desligue o fogo. Acerte o sal.

5. Desidrate o presunto parma no micro-ondas por 2 minutos aproximadamente e pique grosseiramente com as mãos.

6. Monte copinhos ou bowls com o creme e adicione os crisps de presunto Parma por cima.

Já falamos sobre Bruna Leite, da Gourmandisme. Ela também é autora das maravilhosas receitas do risoto de abóbora com bacon e do crème brulée, que mostramos aqui e aqui, respectivamente.

Aliás, o creme de batata doce de hoje, seguido do risoto de abóbora com bacon e do crème brulée compõem um cardápio e tanto, não é mesmo?

Sugestões como estas fazem parte dos cursos de culinária gourmet que Bruna Leite hoje ministra para pequenos grupos. Formada pelo Le Cordon Bleu de Paris e com passagem pelos estrelados Noma de Copenhagen e D.O.M, Bruna Leite vai à sua casa e, com os utensílios de cozinha que você tem, ensina a preparar uma entrada, um prato principal e uma sobremesa.

Para entrar em contato com Bruna, basta clicar aqui ou em nossa seção Indicamos.

Um beijo!

AS FARTAS HORTÊNSIAS

Para um aniversário muito especial que mostramos a vocês aqui, decoramos a mesa com múltiplos vasinhos em prata levando tulipas brancas, orquídeas phalaenopsis amarelinhas e hortênsias azuis.

Já faz algum tempo que queríamos falar com um pouco mais de detalhe sobre as hortênsias, que, além da mesa acima, também decoraram estas aqui, aqui e aqui, só para citar algumas.

Por isso, convidamos nosso expert e parceiro mais que querido, Sergio Oyama Junior, do Orquídeas no Apê, para compartilhar conosco um pouco do seu conhecimento sobre o assunto.

hortensiaFoto: Pinterest.

A hortênsia é originária de países asiáticos, tais como Japão, China, Coréia e Indonésia. Pertencente à família Hydrangeaceae, a espécie Hydrangea macrophylla é a mais cultivada e comumente encontrada no mercado. Atualmente, existem mais de 600 variedades desta espécie nativa, obtidas através de cruzamentos e seleções.

Além da grande variedade de cores de hortênsias, que inclui o branco, o pink, o vermelho e vários tons de azul e púrpura, uma mesma planta pode produzir flores com cores diferentes, dependendo da composição química do solo em que é cultivada.

Hortênsias que crescem em solos mais ácidos, com pH menor que 7, produzirão flores que tendem mais para o azul. Já solos alcalinos, aqueles cujos valores de pH são maiores que 7, fazem com que as plantas produzam flores mais rosadas. Este fenômeno ocorre devido à influência do teor de alumínio presente no solo, que interage com os pigmentos florais e alteram sua coloração.

As hortênsias são melhor cultivadas em regiões de clima frio, sendo abundantes na região sul do país. Aliás, esta é a flor símbolo da cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul.

Trata-se de plantas que apreciam bastante luminosidade, podendo ser cultivadas sob sol pleno. Elas costumam gostar de solos com boa drenagem, sempre muito bem irrigados, que sejam ricos em matéria orgânica.

A melhor época para se plantar hortênsias é o inverno. A floração, contudo, inicia-se na primavera e pode estender-se até o outono.

Mas atenção. Existem alguns compostos tóxicos em todas as partes das hortênsias planta, então, ela precisa ser mantida fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Esperamos que tenham gostado! Um beijo grande.

Sergio Oyama Junior é o biólogo, fanático por orquídeas e idealizador do Orquídeas no Apê blog dedicado a essas lindas flores. Neste espaço, Sergio, que é graduado em Biologia pela Unicamp e pós-graduado em Bioquímica pela USP, gentilmente divide conosco um pouquinho do seu vasto conhecimento sobre as mais diversas plantas e flores, incluindo, é claro, as orquídeas.

Voltar para o topo